Chá com os Deuses

Julho 08 2010

(Texto do cientista Mark Comings, do Movimento Mundial de Paz e de Mudança)

«Do mesmo modo que entramos numa “nova era” para compreender o tempo, também entramos numa “nova era” para compreender o espaço. Compreendemos que o tempo é uma dimensão superior à da mente. Quando falamos de espaço, geralmente pensamos no espaço tridimensional; todavia, na realidade, vivemos num Universo multidimensional e existem infinitas dimensões para o espaço; a nossa consciência humana ordinária, em geral, está sempre consciente unicamente do espaço tridimensional. No entanto, oculto dentro destas três dimensões, está o selo de todas as outras dimensões superiores.

 

Assim, por exemplo, quando projectamos uma sombra com a nossa mão, essa sombra tem a forma da nossa mão, mas falta-lhe uma dimensão. Ela está num plano, está em duas dimensões. Do mesmo modo, os nossos corpos e tudo o que se move nestas três dimensões são sombras de dimensões superiores. Normalmente pensamos que estas sombras, que estas projecções, são reais e esquecemos que estão sendo projectadas a partir de dimensões superiores. Não obstante, nos últimos 30 anos, a Ciência conseguiu descobrir a evidência de dimensões superiores dentro destas três dimensões. Foi descoberto que o que chamamos de espaço vazio – o vazio – na realidade está repleto de imensa energia potencial.

 

A conclusão ordinária de considerar o espaço como o nada, o lugar onde se situa a matéria, evidentemente converteu-se no nosso espaço. Mas o vazio tem mais energia do que a matéria que está nesse vazio e, de facto, a matéria e o vazio são uma mesma coisa, pois há uma continuidade. Foi descoberto que há mais energia num centímetro cúbico de vazio do que em todo o universo manifestado visível e que qualquer “descoberta” nele certamente pareceria invisível. Significa isto que cada ponto no vazio tem energia infinita convergindo num só ponto. Ao deduzir que cada ponto de energia tem energia infinita que está convergindo de todas as direcções para esse ponto e, tendo em vista que essa energia infinita está provindo simultaneamente de todas as direcções, então, há um momento de cancelamento; cancelam-se mutuamente e é por isso que essa quantidade de energia no espaço é invisível. É como, por exemplo, o que se passa no cálculo vectorial, com dois vectores opostos, pois quando há um ponto donde saem (ou convergem) dois vectores de valores iguais mas de direcções opostas, estes anulam-se, no que respeita aos seus valores; pode haver uma grande quantidade de energia mas ela anula-se e é por isso que não a vemos. Esta é uma energia universal que se anula a si mesma omnidireccionalmente. Este processo de anulação omnidireccional é tão perfeito que, inclusive, uma quantidade infinita de energia parece estar oculta no espaço vazio.

 

E esta ideia de que o espaço está infinitamente cheio de energia, tem imensas implicações quanto à nossa maneira de ver o Universo. Assim, cada ponto no qual há total vazio é onde a energia se está a anular de maneira perfeita. Mas se, em qualquer ponto, o processo de anulação omnidireccional não se completa, se há um pequeno desequilíbrio no processo de balanço energético (em que um vector sobressai um pouco mais), então há nesse ponto uma distorção e é desta distorção da anulação (dos vectores) que resulta a manifestação como matéria. A partir deste ponto de vista toda a matéria, todo o mundo manifestado, não é mais que uma temporal assimetria no vazio que se anula. Isto permite-nos fazer com que a Ciência comprove que está certo o que os mestres diziam há muito tempo: que a matéria e o vazio são na realidade a mesma coisa. Esta é uma maneira científica de compreender o que a sabedoria mística nos revelou sempre.

 

No Sutra, o coração do Budismo, está estabelecido que “a forma é nada e o nada é a forma”. É uma expressão assertiva algo misteriosa, que, todavia, agora é totalmente compreensível em termos da ciência porque, de acordo com a Física da Energia Ponto Zero, toda a matéria não é nada mais do que uma modificação do vazio.

 

As implicações destas perspectivas são enormes porque, em lugar de considerar o vazio como uma vacuidade morta, totalmente vazia, resulta que na verdade é um infinito campo exuberante de abundância e potencial, e nós mesmos e os nossos corpos somos parte de uma continuidade dessa infinita abundância. Actualmente, existem várias pessoas que trabalham para conseguir elaborar aparelhos que nos permitam obter energia eléctrica a partir da Energia Ponto Zero e que conseguiram comprovar que isto é possível. É evidente que existe grande resistência para mostrar tudo o que se sabe sobre isso. A ciência da Energia Ponto Zero demonstra que a realidade mais benéfica é a abundância e não a escassez. Tristemente, como sabemos, todo o sistema económico mundial se baseia na escassez. Os recursos são escassos e baseiam-se no medo. Fala-se de que existe uma escassez de energia e que devemos competir para conseguir esses recursos limitados. Claro, é assim se pensarmos somente a partir do petróleo puro e da energia atómica deste tipo. Todos estes métodos de produzir energia contaminam e têm resíduos prejudiciais para o Planeta. O problema (que na verdade não se pode considerar um problema) com a Energia Ponto Zero, é que ela é abundante e grátis. Esta tecnologia, de facto, permite-nos um mundo no qual teremos toda a energia que quisermos, grátis e limpa, sem nenhum prejuízo para o planeta.

 

Existem várias pessoas que desenvolveram esta tecnologia e estão a ter graves problemas para trazê-la para o mercado. O problema evidente é que isso vai limitar a enorme ganância que produz a energia escassa. Poder-se-ia falar durante horas acerca desta tecnologia e de possíveis maneiras de conseguir que ela seja de boa qualidade, mas, na verdade, pode-se focar outro aspecto, sobre as implicações espirituais desta nova maneira de pensar sobre o espaço. Quero falar-lhes das implicações espirituais desta nova maneira de pensar sobre o espaço. Considero que as implicações espirituais são ainda mais revolucionárias do que as implicações económicas e outras. Considero que assim como a consciência da humanidade se eleva com novas frequências, estas tecnologias que demonstram a abundância poderão vir à luz. E digo mais: considero que isto é inevitável. A única resistência a isto é a consciência do medo, a escassez e a cobiça. Entretanto, à medida que mais e mais pessoas reconheçam a infinita abundância dentro de si mesmas, será fácil reconhecer a abundância externa.

 

Creio que a implicação mais importante desta maneira de considerar o espaço é saber que estamos conectados a uma fonte infinita e que esta fonte infinita é a abundância infinita do amor e da compaixão (magnetismo, coesão). Pode considerar-se também que a partir desta óptica podemos ver toda a matéria como cristalizações do vazio. Os nossos corpos, então, são complexos de assimetria no vazio, que estão sintonizados com este campo de potencial infinito.

 

O que os cientistas chamam ‘Energia’ é chamado ‘Espírito’ e ‘Consciência’ pelos místicos. A Energia não é mais que apenas a superfície de um imenso oceano de espiritualidade viva. Então, em termos de nosso desenvolvimento espiritual, o mais importante é que nós devemos aceder e conectar-nos a este campo de potencialidade pura no espaço e que nos convençamos de que está ali, de que existe e que é infinitamente abundante. As nossas crenças são o mais importante factor que constrói a realidade nas nossas vidas e, apesar de vivermos num oceano infinito de abundância, se nós não pudermos crer nele, então não poderemos experimentar esta abundância.

 

As nossas crenças têm o poder de nos bloquear e evitar que consigamos aceder a esses campos infinitos; mas se integrarmos na nossa Consciência que estamos conectados a essa fonte infinita de amor, compaixão e abundância, descobriremos que, de facto, realmente estamos e será possível, para nós, aproveitar e canalizar esta energia infinita nas nossas vidas. Essa energia pode curar qualquer enfermidade, qualquer problema da mente, corpo ou espírito, porque toda enfermidade não é mais que uma função de desequilíbrio entre o corpo, a mente e o espírito. E a Ciência está agora a demonstrar cientificamente como é que sucedem os milagres e que eles de facto sucedem todos os dias. A nossa própria existência é um milagre incrível. Então, se nos damos conta da classe de milagre que é estar por aqui, experimentando cada momento, qualquer outro milagre não nos surpreenderá. A intensidade de energia e de luz que nos acompanha a todo momento é imensa, enorme. O vazio está ao nosso redor, no espaço. Está cheio de luz. É uma vacuidade radiante que cria todas as formas.

 

Recentemente foram feitos cálculos acerca de quanta luz está presente ao nosso redor. Pela ciência da Física Quântica sabemos que o vazio está emitindo a todo o momento o que poderíamos chamar fotões de vazio. A intensidade dos fotões que provêm do vazio é cem vezes a intensidade da luz da superfície do Sol. Portanto, isto é algo como nadar em luz o tempo todo. No espaço em que nos encontramos agora mesmo, há mais luz do que na superfície do Sol. E se não podemos ver isto com os nossos sentidos físicos, é porque os nossos sentidos físicos foram sintonizados para captar as diferenças, para notar as manifestações de matéria. Então, esta imensa luz sempre presente fica em fundo e não é visível aos nossos olhos. Todavia, as pessoas que alcançaram níveis místicos elevados confessaram ver enormes quantidades de luz branca.

 

Essa percepção que os místicos têm da luz branca foi tomada pela antiga ciência como um desequilíbrio químico raro nos cérebros destas pessoas, porque os cientistas não podiam compreender que esta luz radiante está efectivamente presente. Agora podemos compreender que o que os místicos percebiam era a manifestação do que realmente existe. Nos estados místicos, o sistema nervoso e os sentidos estão sincronizados de maneira que se pode ver o que aparentemente não está aí.

 

Esta energia brilhante, sempre presente, também nos pode ajudar a explicar outros fenómenos paranormais. Agora se compreende, na ciência da Parapsicologia, que a intenção humana pode dirigir estes fotões de vazio e que, se conseguirmos sintonizar-nos suficientemente, poderemos inclusive controlar estes fotões para que eles movam a matéria, ou seja, a telecinésia, e também nos permite compreender como pessoas bem sincronizadas podem servir de canal para curar através das mãos. De facto, estas pessoas estão a dirigir conscientemente estes fotões de vazio de uma maneira que podem ser aproveitados para curar. Porém, a mais importante implicação desta nova visão do espaço como um campo infinito, é que nós podemos despojar-nos de todas as nossas falsas crenças. O principal obstáculo que temos para manifestar o PARAÍSO NA TERRA é precisamente a obstinação da mente humana na limitação e na escassez, tendo levado a que a Humanidade tenha depositado a sua fé na ciência destes dias, a qual tem descoberto o que a mente racional pode compreender. É, então, muito significativo que a mente racional, por fim, através da “Nova Ciência”, possa reconhecer que existe esta abundância infinita. Isto traz-nos uma visão do potencial humano que é absolutamente ilimitado. Estamos sintonizados com este campo de energia infinita, mas isto também significa infinito amor e consciência infinita.»

publicado por iorio às 12:45

Espaço de partilha de conhecimentos e experiências na amálgama que funde Espiritualidade e Ciência (as duas faces da mesma moeda), religião e Nova Era, hologramas e Matrix, o Segredo e 2012. E o segredo de 2012. E mais além!
mais sobre mim
Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
21
22
24

25
26
27
28
29
30
31


links
pesquisar
 
blogs SAPO