Chá com os Deuses

Maio 27 2011

Há muita informação associada difícil de ”comprimir”, mas tal exige uma ‘abertura da mente’, ou seja, estar receptivo a muitas verdades – ou pelo menos não as refutar liminarmente, porque não nos foram “ensinadas” – sobre a ‘Espiritualidade’ (a nossa conexão com o Divino, que não é uma ligação exterior a nós, mas interior), as quais têm sido sonegadas – ao longo de milhares de anos – pelas elites do Poder, quer material quer espiritual, já que as religiões foram desde sempre (mais) um instrumento de manipulação das massas.

 

Como, há muito, as tradições orientais constataram, o Ser Humano é (a parte de) um Espírito que vem encarnar para evoluir e regressar à Luz. Esse regresso, dentro do contexto do nosso mundo de Dualidade (onde "encaixam" o Yin/Yang, Bom/Mau, activo/passivo, certo/errado, frio/quente, forte/fraco, bonito/feio, etc.), exige nesta realidade, (muito) dissociada da Fonte, sucessivas reencarnações para que esse ser aprenda a transcender a matéria, e para que integre na sua Consciência que tudo (o bom e o mau) é fruto da mesma Fonte.

 

Humanamente, estamos condicionados a buscar sempre o que nos agrada, o que achamos que é bom para nós, recusando tudo o que achamos que o não é – mas, ao prestarmos atenção à "parte boa" da questão (ou seja, ao investirmos nisso a nossa Energia, porque tudo é Energia, tudo é Vibração), estamos na mesma medida a prestar atenção à "parte má", já que ambas as vertentes (o bom e o mau) são indissociáveis. Essa recusa leva a que criemos sucessivos (e mais fortes) do que achamos ser ‘mecanismos de defesa’; e esses levam-nos aos medos e fobias que acabam – na idade adulta, geralmente – por controlar as nossas vidas. Esses medos são gerados pelas mais diversas situações, sendo os mais recorrentes na nossa sociedade actual enquadrados em alguns padrões arquetípicos (a que alguns também chamam ‘Traumas’, como são conhecidos no Ocidente; ou ‘Carmas’, como são chamados no Oriente – salientando-se os de Rejeição, Abandono, Maus-tratos e Traição. Quem não aceitou noutras vidas ter sido abandonado, maltratado, traído e/ou rejeitado, vai ter, nesta, muito provavelmente que se confrontar com situações com eles relacionados para daí retirar lições – de que Tudo provém da Fonte.

 

Aqui entram esses fantásticos actores que são os familiares mais próximos e aqueles com quem nos vamos cruzando (e ligando) durante a nossa vida. Antes de encarnarmos, todos escolhemos (através da nossa alma) quais as lições, associadas a cada um desses padrões/carmas, ainda não aprendidas/assimiladas/interiorizadas com que nos vamos ter que defrontar ao longo da próxima vida, contando com a ajuda de outros seres nas mesmas circunstâncias e com quem, geralmente, já “contracenámos” em vidas passadas, quer nos papeis activos, quer nos papeis passivos, ou seja, de “castigadores” ou de “sofredores”. Daí o “Ninguém se encontra por acaso”…

publicado por iorio às 22:44

Espaço de partilha de conhecimentos e experiências na amálgama que funde Espiritualidade e Ciência (as duas faces da mesma moeda), religião e Nova Era, hologramas e Matrix, o Segredo e 2012. E o segredo de 2012. E mais além!
mais sobre mim
Maio 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
28

29
30
31


links
pesquisar
 
blogs SAPO